Foto Adriano Diogo
Buscar:
redessociaisBlogOrkutFacebookTwitterredes2

Secretário Municipal do Verde e do Meio Ambiente 2003-2004

foto Adriano Diogo

Assim que assumiu a Secretaria do Verde e Meio Ambiente da cidade de São Paulo, Adriano Diogo encarou o desafio de tornar São Paulo mais verde, preservando suas reservas naturais e ampliando a vegetação existente. Foi uma tarefa difícil deixar a cidade mais humana, arborizada e menos poluída, mas com a união de forças da Prefeitura, iniciativa privada e sociedade civil, isso foi possível.

À frente da secretaria, entre 2003 e 2004, ampliou em 7 milhões de metros quadrados as áreas verdes da cidade, equivalente a sete parques Ibirapuera. Esses números são referentes ao plantio de árvores e à criação de parques e praças.

No fim de sua gestão entregou sete novos parques para a cidade e revolucionou na administração dos 32 parques existentes: criou os Conselhos Gestores dos Parques Municipais, canal efetivo de participação popular, e integrou meio ambiente e cultura, construindo novos equipamentos culturais e educacionais como o Planetário do Parque do Carmo; a Sala de Leitura do Parque Piqueri; o Museu Afro-Brasil; o Auditório e a Fonte Multimídia do Parque Ibirapuera.

Confira abaixo suas principais ações de na Secretaria do Verde e Meio Ambiente.

Parque Ibirapuera – Este que é o parque mais freqüentado da cidade e um dos símbolos de São Paulo merece um capítulo à parte não só pela sua importância, mais pelas melhorias que foram realizadas no local durante a gestão de Adriano Diogo: Veja aqui as ações realizadas no Parque.

> Plano Diretor – Este plano teve o intuito de minimizar os impactos que o grande público, mobilizado pelas atrações culturais, causa ao meio ambiente, foi elaborado um Plano Diretor que prevê a divisão do parque em áreas verdes - destinadas às atividades físicas e à contemplação da natureza – e áreas edificadas e de entretenimento - onde hoje se encontram os Pavilhões, o MAM, a Bienal, a OCA, o Museu Afro-Brasil, o Auditório do Ibirapuera e a Fonte Multimídia.

> Fonte Multimídia - Para celebrar os 450 anos da cidade de São Paulo, foi inaugurada a maior Fonte Multimídia da América Latina. A Fonte do Ibirapuera propicia um espetáculo de alta tecnologia e efeitos especiais, jamais vistos, e se tornou a grande atração do parque. Foi doada pelo Grupo Pão de Açúcar.

> Auditório do Ibirapuera - Passados 50 anos de sua inauguração, o Parque Ibirapuera ganhou, finalmente, seu Auditório e teve assim seu projeto original concluído. O auditório projetado por Oscar Niemeyer tem capacidade para 840 pessoas em seu interior, com possibilidade de reverter o palco e realizar shows ao ar livre. Em mais uma parceria com a iniciativa privada, foi construído pela TIM, sem a utilização de recursos públicos.

> Museu Afro-Brasil – Este novo equipamento cultural, que foi inaugurado no parque em 2004, tem curadoria de Emanoel Araújo e abriga um grande acervo de arte negra, além de ser espaço de mostras, cursos e apresentações culturais.

> Planetário do Ibirapuera - Interditado desde 1999, o Planetário do Ibirapuera foi totalmente restaurado. Assim que for instalado o novo projetor o Planetário será reaberto ao público e atenderá cerca de 600 mil pessoas por ano.

> Escola Municipal de Astrofísica Restaurada – Em 2004 foi iniciado o restauro da Escola Municipal de Astrofísica (EMA), localizada ao lado do Planetário do Ibirapuera, o que permitirá a ampliação do acesso da população aos cursos oferecidos.

> Programa de Despoluição dos Lagos – Em sua gestão foi iniciada a despoluição dos lagos do parque, tarefa que será totalmente concluída após a regularização das ligações clandestinas de esgoto do Córrego do Sapateiro, que foram identificadas através deste programa.

> Viveiro Manequinho Lopes foi reaberto à visitação pública - Em agosto de 2004, o Viveiro Manequinho Lopes foi reformado e reaberto à visitação pública. Embora o trabalho de produção de mudas continuasse ativo, o Viveiro estava fechado à visitação desde 1999.

Planetário do Carmo - O Planetário do Carmo é um dos pólos culturais mais avançados da zona leste, com capacidade para atender cerca de 400 mil pessoas por ano. Foi construído por meio de uma parceria com a Telefônica. Este planetário permite simular viagens pelo espaço em diferentes épocas.

APA Capivari-Monos - A criação da Área de Preservação Ambiental (APA) Capivari-Monos em 2001, na gestão da prefeita Marta Suplicy, constituiu-se num passo decisivo para a proteção de um dos mais importantes mananciais da cidade. Pela primeira vez, o município instituiu um mecanismo legal para preservar sua principal reserva de mata atlântica.

Novas Áreas de Proteção Ambiental – Foi enviado pelo executivo à Câmara Municipal, em 2004, projeto de lei que propõe a criação da APA do Bororé, com 90 Km², localizada nos distritos de Grajaú, Capela do Socorro e Parelheiros, além de outro projeto de lei que prevê a criação do Parque Natural Cratera de Colônia, que fica na APA Capivari Monos. Foi também iniciada a elaboração de projeto de lei que cria a APA Cabeceiras do Aricanduva-Itaquera, com 22 Km², que abrange as subprefeituras de Itaquera, São Mateus, Cidade Tiradentes e Guaianazes. Com a preservação dessas áreas, será possível promover o desenvolvimento sustentável nessas regiões e impedir a expansão urbana nas áreas de mananciais.

Atlas Ambiental - A Prefeitura publicou em 2004 o Atlas Ambiental da Cidade de São Paulo, que está disponível em versão digital desde 2003: http://atlasambiental.prefeitura.sp.gov.br/. Com 266 páginas, ilustradas com 40 mapas e 200 fotos, além de 20 mapas temáticos anexados, o Atlas apresenta a fauna, a flora, o clima, a hidrografia e outros aspectos importantes da ecologia urbana da cidade de São Paulo.

Prefeitura transforma lixo em energia - A Prefeitura inaugurou em janeiro de 2004 a maior usina de biogás para geração de energia do mundo e a primeira do Brasil. Instalada no Aterro Sanitário Bandeirantes, em Perus, a usina é capaz de produzir energia elétrica a partir de gases como o metano, resultantes da decomposição do lixo urbano.

Usina de Idéias São Mateus - O projeto Usina de Idéias, uma iniciativa de caráter educativo e ambiental, formou um núcleo de criação artística na antiga Usina de Compostagem de São Mateus que foi desativada em 2003. Localizada ao lado do Sesc Itaquera, na Zona Leste, o espaço foi revitalizado e valorizado por meio de várias oficinas culturais.

Projeto de História Ambiental - O projeto História Ambiental das Bacias do Aricanduva e Itaquera, realizado pela secretaria em parceria com o Sesc Itaquera, que envolveu 95 jovens da região, refez o caminho que transformou a região da Bacia do Rio Aricanduva e do Córrego Itaquera, na zona leste, em uma das regiões mais populosas de São Paulo, com vários problemas ambientais.

Projeto Rios Cidadãos - O projeto Rios Cidadãos – diagnóstico participativo e ações de intervenção nas bacias do rio Aricanduva, córrego Itaquera e rios Cabuçu de Cima e de Baixo envolveu a população, através de um diagnóstico participativo, nos estudos referentes às bacias hidrográficas que são sua base territorial. Também houve uma identificação da história popular que a comunidade produziu ao longo do tempo. Grupos foram capacitados para fazer trabalho de campo, levantando junto às populações localizadas ao longo das bacias as condições do meio ambiente em que vivem, relativas à qualidade do ar, da água e do solo. Ao mesmo tempo, conscientizavam essas populações para a importância de se preservar e cuidar do meio ambiente do entorno das bacias, de modo a evitar sua contaminação.

Revitalização dos Parques Municipais - Todos os parques receberam melhorias em relação à limpeza, plantio, segurança, manutenção, reparos e instalação de novos equipamentos.

Fontes do Parque Independência - O restauro das fontes, chafarizes e do Monumento à Independência, localizados no Parque da Independência é mais uma das ações de sua gestão no sentido de revitalizar os parques municipais, valorizando seus equipamentos culturais e de lazer.

Programa de Agricultura Urbana – Criação do Programa de Agricultura Urbana, que recuperou áreas públicas degradadas, transformando-as em hortas urbanas, gerando renda e alimentos saudáveis para pessoas carentes. Além de ser um excelente instrumento de recuperação da auto-estima, pois permitiu aos novos agricultores a redescoberta de sua capacidade produtiva.

Inspeção Veicular - Depois de oito anos de negociações, finalmente, em sua administração firmou-se parceria com o Governo do Estado para a implantação do Programa de Inspeção e Manutenção de Veículos, que será fiscalizado pela Prefeitura. Com a inspeção veicular, os níveis de poluição do ar deverão cair em 30%.

Criação do Parque Natural do Carmo - Em junho de 2003, a Prefeita Marta Suplicy assinou decreto criando o Parque Natural do Carmo, medida que garantiu a preservação de toda a área com espécies remanescentes de Mata Atlântica da APA do Carmo, ao mesmo tempo em que triplicou a área verde do Parque do Carmo, que passou a ter 5,5 milhões de metros quadrados. A área foi cercada e protegida e a usina de compostagem que funcionava no local foi desativada.

Criação dos Conselhos Gestores dos Parques - Os 32 parques municipais passaram a contar com a participação direta da comunidade por meio da criação dos Conselhos Gestores dos Parques, que são compostos por integrantes do governo e da sociedade civil, eleitos diretamente pela população.

Coordenadoria de Participação Popular – Esta coordenadoria foi criada durante sua gestão e incentivou a participação dos paulistanos nas questões ambientais da cidade, através de sugestões para os projetos de praças e parques e da fiscalização do andamento das obras, além de servir como uma via de comunicação com o executivo.

Aldeias Indígenas – Através da Coordenadoria de Participação Popular foi estabelecido um diálogo com as três aldeias indígenas guarani existentes no município de São Paulo, além de outras várias comunidades indígenas, de etnias diversas, que vivem na cidade. Foi uma atitude pioneira da Prefeitura, que gerou diversos benefícios, como a criação dos CECIS – Centros Educacionais Indígenas.

Cinema no Parque - Pela primeira vez a população pode conferir gratuitamente, nos parques municipais, clássicos do cinema nacional como Deus e o Diabo na Terra do Sol, de Glauber Rocha, e O Bandido da Luz Vermelha, de Rogério Sganzerla, além filmes da produção recente.

Fundo Especial do Meio Ambiente – Com a criação deste fundo todo dinheiro arrecadado com multas por infrações ambientais no território municipal será investido na melhoria das condições ambientais da cidade. Antes o dinheiro era destinado para um fundo federal.

Lei de Crimes Ambientais - Em fevereiro de 2003, foi assinado um Decreto que permite que os Agentes de Controle Ambiental (ACAs) da Secretaria do Verde possam aplicar multas por infrações ambientais, delegando-lhes o poder de polícia administrativa.

  • Deputado estadual 2005-2013
  • SVMA
  • Governo da reconstrução 2001-2002
  • Oposicao a Maluf 1993-1996
  • Mandato pela Sauude Publica 1997-2000
  • Primeira Legislatura
  • Geologo Sanitarista
  • Movimento Estudantil

Adriano Diogo©Todos os direitos reservados